Tecnologia na formação

tecnologia-1764x700.jpg

Falando sobre os avanços da tecnologia, é muito importante e indispensável comentar que todo avanço tecnológico é fruto da maturidade psíquica do ser humano. Segundo uma das teorias que sustentam o Darwinismo até os dias atuais, o gradualismo, diz que; As populações se diferenciam gradualmente, de geração em geração, até que as espécies que seguiram por um “galho” da árvore da vida não mais pertençam à mesma espécie do “tronco” e de outros “galhos”. Tangenciando essa ideia no campo da tecnologia, chega-se a ideia que o avanço tecnológico, deu-se de forma gradativa, ou seja, de acordo com o grau de maturidade baseada nas experiências humanas, a tecnologia pode assim crescer significativamente.

É impossível falar de tecnologia sem antes falar do ser humano, pois a tecnologia é baseada na informação, ou seja, quanto maior a informação, maior a possibilidade de um arranjo ou descoberta. Um dos exemplos mais pertinentes que se pode encontrar na história, é o homem no paleolítico e no neolítico. As diferenças em cada um desses dois períodos são gritantes, pois o homem paleolítico, por exemplo; coletava alimentos na prática da caça e da pesca para sobreviver, já no neolítico o homem passou a produzir o que comer com mais assiduidade, plantando legumes, frutos e vegetais. Com essa evolução, já não mais existia a necessidade de vagarem constantemente à procura de alimentos. O que se pode reiterar desse assunto é que com a informação o homem aprendeu a colocar em prática o conhecimento, isso na tecnologia significa uma progressão ou evolução tecnológica.

Ainda sobre o ser humano, é muito comum dizer que o homem é produto do meio. O meio em que ele está inserido, seu ambiente, sua colocação na sociedade, suas referências, o classificam como produto do meio, e como produto do meio ele vêm se rearranjando ao longo dos anos. Em meados do século XVIII, surgia na Europa o iluminismo, que teve Paris, na França, como berço. O iluminismo eram ideias de emancipação, num contexto global que vai desde o campo político-econômico ao campo filosófico. O que se pode reiterar de produtivo do Iluminismo, é que ele influenciou diversas revoltas contra países colonizadores, a exemplo de Portugal e Brasil, Brasil e Holanda e outros…  Assim, o ideal Iluminista eclodiu de maneira a libertar uma mente antes fechada e atrofiada pela alta burguesia ou os detentores do poder, a uma mente aberta, autônoma que defendia o uso da razão. Associando a tecnologia, é cabível dizer que assim como o Iluminismo, o avanço tecnológico teve como principal objetivo “libertar” o mundo de seu atrofio mental, por intermédio da comunicação social.

Quanto mais for uma sociedade unida e generosa, é certo que maior será sua comunicação interpessoal. “Gente precisa de gente”, ninguém pode ser feliz sozinho. Como dito anteriormente, o ser humano é fruto do meio, ou seja, é necessário que exista uma comunidade ou sociedade e quanto maior for o grau de relacionamento desse polo, maior será seu nível informacional.

Na filosofia Ubuntu, o Arcebispo Desmond Tutu explana que;

“Uma pessoa com Ubuntu está aberta e disponível para as outras, apoia as outras, não se sente ameaçada quando outras pessoas são capazes e boas, com base em uma autoconfiança que vem do conhecimento de que ele ou ela pertence a algo maior que é diminuído quando outras pessoas são humilhadas ou diminuídas, quando são torturadas ou oprimidas.“

No campo tecnológico é possível associar o Ubuntu como o grau de aproximação das pessoas sendo a troca de informação o pilar sustentável para a descoberta de um novo avanço na tecnologia. A tecnologia precisa de informação para evoluir, a informação está nas pessoas, logo a tecnologia precisa da troca de informações entre as pessoas para “sobreviver”.

A relação entre capitalismo e o avanço tecnológico;

Traçando um paralelo entre capitalismo e a tecnologia, como exemplo, se pode citar o tratado de Methuen, mais conhecido como tratado de panos e vinhos entre Portugal e Inglaterra assinado em 17 de dezembro de 1703.

A Inglaterra no auge da revolução industrial fabricava tecidos em grandes remessas e visava à ampliação de um mercado consumidor, com isso tratou com Portugal uma relação comercial, onde a Inglaterra comprava os vinhos fabricados por Portugal e assim Portugal compraria os tecidos da Inglaterra. Como a Inglaterra fabricava tecidos em larga escala por conta da revolução industrial que fomentou a indústria têxtil, Portugal, não acompanhou o ritmo acelerado da Inglaterra, isso acabou criando uma balança comercial desfavorável para Portugal fazendo com que abrisse um importante canal para a transferência da riqueza produzida no Brasil para a Inglaterra.

A Inglaterra num contexto histórico vivia sempre um passo a frente de um eventual problema e na verdade a mesma já projetaria todo o cenário da relação comercial com Portugal, baseada numa tendência atual a sua época, tratando da revolução industrial. Nesse exemplo, fica bem notória a presença do capitalismo. Capitalismo significa um sistema sócio-econômico em que os meios de produção e o capital são privados. O mundo atual é capitalista e sem o capitalismo é impossível chegar a um patamar de expressão, quando foi explanado sobre o tratado entre Inglaterra e Portugal, foi perceptível que a Inglaterra era a principal beneficiada, ou seja, através da relação comercial ela pôde obter lucro. Ocorre aí uma diferença entro dois valores acarretando no Mais Valia do filósofo e cientista político, Karl Marx. Tendo essa ideia como base, pode-se afirmar que o objetivo do capitalismo é o lucro.

É necessário entender que sem uma classe dominante seria impossível investir em larga escala em pesquisas. É muito mais lucrativo importar do que pesquisar. Mas isso não significa que não seja necessário pesquisar, muito pelo contrário, tudo tem um nível de saturação e as pesquisas anteveem esse momento. Com uma sociedade igualitária, onde exista uma distribuição de renda “justa”, o que deveria ser perene acaba por tornar sazonal, ou seja, a frequência dos investimentos em pesquisas tecnológicas começa a decair, comprometendo seu avanço ou evolução.

Os seres humanos antes de serem racionais e políticos, são antes produtores e as relações que mantém entre si expressam o que e como produzem o essencial à sua sobrevivência.

A produção da sociedade atual foi configurada ao longo dos anos a partir das informações transmitidas e das experiências trocadas, é na verdade, uma continuação dos projetos que foram interrompidos por agentes externos como a morte por exemplo. Entender governo como gestão é importante para definir a continuação de um projeto. São quatro anos de governo, onde serão colocados em prática todos os argumentos e propostas do discurso de um determinado candidato, após o mandato deste candidato os efetivos que obtiveram sucesso em seu governo podem ser prolongados por outro candidato ou o mesmo candidato pode se reeleger, mas a resposta vem de acordo com o grau de satisfação da sociedade. Para Marx a sociedade até nossos dias é a história da luta de classes, ou seja, o nível de satisfação (luta de classes) da sociedade que se deu ao longo dos anos foi determinante para a produção da sociedade atual. Atrelando a sociedade atual a tecnologia verifica-se que o avanço tecnológico provoca grande impacto, ou seja, positivamente a tecnologia proporciona melhor nível de vida ao homem em razão de uma série de inovações.

Anúncios
Tecnologia na formação